Segredos sobre Design de Site (Parte II)

A navegação do seu site deve responder as seguintes perguntas dos usuários:

Onde estou?

Essa é a pergunta mais importante da navegação web. Você precisa identificar seu site em todas as páginas. Evite enfeitar demais o sistema de navegação, siga os padrões já estabelecidos. Veja o que diz o mestre em usabilidade, Jakob Nielsen: “meus estudos de usabilidade mostram que os usuários queixam-se amargamente quando um site tenta usar interfaces de navegação drasticamente diferentes das que passaram a esperar da maioria dos outros sites”.

Você deve obedecer as seguintes regras:

1. Coloque seu logotipo em todas as páginas do site. De preferência colocado no canto superior esquerda da página, caso a página for numa língua na qual se lê da esquerda para a direita.

2. Repita determinados elementos da primeira página nas páginas internas do site ( conservar o topo e o logotipo, por exemplo ). Quando o internauta vê a primeira página com uma cara e uma página interna totalmente diferente, a impressão que fica é que ele foi mandado para outro site.

3. Identifique de forma clara onde o usuário está. Isso pode ser feito com o título da página em destaque. Pode-se complementar essa informação no menu, destacando onde o usuário se encontra.

Onde estive?

Apresento duas soluções para esta pergunta:

1. Não modifique as cores de link padrão. Utilize azul com fundo claro. O azul padrão já é aceito, de forma intuitiva de que aquela palavra possui um link hipertexto. Se o fundo for preto utilize amarelo ou verde claro.

2. Quando o usuário clicar no link, conserve a opção da mudança de cor para o roxo quando o usuário observar o mesmo link da próxima vez. Isso serve de auxílio para o internauta, dizendo a ele “você já esteve aqui”.

Aonde posso ir?

Uma boa estrutura de site é de grande ajuda para os usuários responderem a essa pergunta.

1. Informe links associativos ao assunto da página, dando aos usuários dicas como “consulte também” ou “veja também”.

2. Coloque o menu do site totalmente visível. Evite os menus suspensos (chamados também de combos), menus em dhtml que ficam escondidos ou que são acionados com o botão do mouse. Esses tipos de menu não mostram para o usuário toda o conjunto de opções sem ter de tomar uma medida explícita.

Metáfora

Muito cuidado com as metáforas. Elas podem confundir o usuário e acabar complicando mais do que ajudando. As metáforas foram muito utilizadas no início da Internet, entre 1997 e 1998. Naquela época estava na moda o conceito de “realidade virtual”. Todos queriam ter sites onde o internauta pudesse ter a sensação de entrar dentro de sua loja, bar, empresa ou qualquer outra coisa que fosse.

Isso não funcionou. Transferir para a internet os momentos chatos e sacais de se deslocar por dentro de uma loja, procurar por uma atendente, buscar pelo produto desejado numa prateleira é totalmente desnecessário.

O internauta procura agilidade e rapidez. Todos buscam algo. A missão do seu site é facilitar essa busca.

Cuidado também com os menus metafóricos. Conheço site que trocou o carrinho de supermercado ( figura que se tornou padrão para adicionar produtos a uma lista de compras ) por um pacote de compras. Fracasso total. Ninguém sabia onde clicar.

Os padrões estabelecidos de navegação web só vem a lhe auxiliar, seguir esses padrões evita complicações de interpretação pelo usuário e no final todos ganham.

No próximo artigo da série “Segredos sobre Design de Site” irei abordar as imagens, fotografias e o design de URL.

~ por Julio Cesar Milanes em agosto 2, 2007.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: